História do Oriente Médio através da arte (parte 02) ~ Identidade 85 ::
Booking.com

sábado, maio 17, 2014

História do Oriente Médio através da arte (parte 02)




Nesta postagem vemos algumas iluminuras feitas por al-Wasiti para uma edição do livro Maqamat de Al-Hariri de 1237 d.C.. Trata-se de uma obra fundamental nas artes e literatura islâmicas e suas imagens nos levam a apreender um pouco do cotidiano árabe no fim do período do califado Abássida.

Al-Maqamat é o título de um livro escrito por Abu Muhammad al Qasim ibn Ali al-Hariri (1054-1122), contendo cinqüenta histórias relativamente curtas (maquamat = "configurações " ou "sessões"), cada um identificado com o nome de um cidade do mundo muçulmano da época. As histórias falam de aventuras reais e, especialmente, os pronunciamentos verbais em verso ou em prosa de um herói malandro e peripatético, Abu Zayd de Saruj, uma cidade no norte da Síria, como dito por al- Harith, um comerciante sóbrio e um pouco ingênuo viajando de um lugar para lugar. 

Trocadilhos duplos e triplos, significados incomuns de palavras e construções gramaticais elaborados são utilizados para expor a riqueza surpreendente e sofisticada da língua árabe. O gênero do Maqamat se tornou um sucesso quase imediato por causa da extraordinária qualidade de sua escrita. Dezenas de manuscritos de Maqamat de Hariri foram preservados, incluindo um autógrafo provável, e centenas permaneceram desde os séculos XIII e posteriores. Quase todos eles foram copiados nas áreas centrais do mundo de língua árabe - no Egito, na Síria , no Iraque, onde viveu e prosperou a classe dos árabes educados. 

De todos os manuscritos com imagens contendo a grande obra de al-Hariri, um exemplar preservado na Biblioteca Nacional de Paris destaca-se pela qualidade e variedade de suas ilustrações. Foi concluído em 1237 d.C. (634 no calendário árabe) e, de acordo com as suas características, foi copiado e ilustrado pelo mesmo indivíduo, Yahya ibn Mahmud ibn Yahya ibn Abi al-Hasan ibn al-Kuwwarih Wasiti, presumivelmente de origem da cidade de al-Wasit. O manuscrito sobrevive com 99 miniaturas, elogiadas por seu realismo ao retratar a vida. Muitos livros que tratam de aspectos da vida islâmica e, especialmente, árabe, história ou cultura, usam essas imagens para ilustrar os tópicos, exceto para assuntos militares. 

Algumas das cenas, a aldeia ou o rebanho de camelos, encontraram muitos outros usos para além do que é habitual propor para eles. Os temas das imagens são muitos, mas também consistentes, e não é preciso, pelo menos à primeira vista, o texto para entender as atividades descritas e concordar que elas fornecem uma espécie de panorama dos episódios reais de uma vida humana, desde o nascimento à morte, ou então as atividades de um mundo comum à "classe média" urbana árabe, tais como: ir à mesquita, viajar, beber em uma taverna, ir à biblioteca, dormir, comer ou comprar um escravo. 

As pessoas envolvidas em muitas dessas atividades podem ser ligeiramente caricaturadas, mas com humor e simpatia, e seus tipos faciais, roupas, poses ou gestos, podem ser assumidos para refletir observações feitas pelo artista do mundo circundante. É fácil imaginar al-Wasiti andando pela cidade para fazer os esboços das pessoas que ele vê ou, talvez mais provavelmente, armazenando em suas centenas de memórias de imagens da vida diária, incluindo detalhes das poses ou das maneiras em que a roupa gruda em um pessoa. Ele não observa a vegetação da mesma forma e suas plantas, até mesmo as árvores que ele utiliza tão habilmente, permanecem estereotipadas e principalmente ornamentais. 

Em suma, é razoável para definir a arte de al-Wasiti como um exemplar de "realismo de intenções". Ele queria que seus espectadores vissem e reconhecessem um mundo específico e se divertissem com ele, mas ele não se sentia compelido a descrever cada detalhe de cada função. 










<< A ÍNDIA >>

<< A CHINA >>

* Nesta postagem constamos com imagens encontradas em sua maioria no site História de Portugal e Marrocoshttp://historiasdeportugalemarrocos.wordpress.com/iluminuras-ilustracoes-pinturas/

** Para o nosso propósito nessa postagem lançamos mão de uma tradução livre que fizemos de um texto de apresentação a respeito do Maqamat, feita por Oleg Grabar, professor de Arte Islâmica,  do Institute for Advanced Study, de Princeton, New Jersey, EUA. O texto em inglês está disponível no site Omi Facsimiles: http://www.omifacsimiles.com/brochures/maq.html.  


Indicações de sites e livros







Livro The Assemblies Of Al Hariri (1898), de F.Steingass. Disponível para download: https://archive.org/details/assembliesofalha015555mbp

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Digite e tecle Enter para buscar!