Identidade 85 ::

Resenha de filme

"Cavalo de Guerra" (2012)

Lançamento do meu livro!

Erva-mate e frentes pioneiras

VÍDEO: O que é Imperialismo?

Ele acabou ou ainda existe Imperialismo?

O que é dinheiro (Parte 3)

Existe alternativas?

O belo mundo do Zé Butina

[com fotos de Danielle Hermes]

Zygmunt Bauman

Mundo Pós-Moderno (VÍDEO e RESENHA)

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

Os EUA e sua visão do além-México



À parte os diálogos atuais entre Estados Unidos e Cuba e os avanços conseguidos, às vezes tenho a impressão de que muitos (não digo todos) norte-americanos imaginam o espaço pós fronteira nas Américas, a partir do México, como um abismo ou uma espécie de escuridão infinita que guarda em seu interior monstros e ninfas, sereias e dragões. 

Talvez tenha sua explicação em uma espécie de imaginação medieval que não evoluiu com as ciências ao longo dos séculos. A imagem que eles parecem ter dos latino-americanos se resume ao que está mais próximo, ou seja, o vizinho México.


Herbert Draper, Ulisses e as Sereias

Essa sensação dos latino-americanos de não serem entendidos pelos americanos do Norte não tem nada de novo, mas do lado de lá parece se pautar em uma imagem nebulosa, que é vista do alto de uma montanha tibetana, onde, de tanto tempo de vivência isolada (ideologicamente), se sentindo mais próximo do céu, ou coisa parecida, não desce a montanha, a menos que sinta falta de comida ou outros suprimentos, que podem, por sua vez, serem encontrados fartamente na planície latina. 

Se bem que, como me disse algum amigo certa vez, nós, especialmente brasileiros, temos necessidade de sermos vistos - uns mais outros menos. Por outro lado, o mundo é assim e parece ser essa uma característica dos humanos. Se nós desejamos nos afirmar, ter uma posição de destaque, os que sempre foram notados, não precisam se esforçar para isso. 

Se bem também que a História mostra suas garras, como uma deusa que se encarrega de confundir sempre e revirar constantemente as prateleiras "organizadas" do planeta ao longos dos séculos. Se os tempos mostraram as sucessões, ora romanos ora norte-americanos (para não citar outros impérios), não esquecendo os britânicos, porque não imaginar que sempre vai mudar e nunca teremos um império eterno, ficando essa "eternidade" guardada para o campo metafísico e simbólico, na imaginação de um espaço ideal, pelo menos para alguns.


Monstro marinho, como era visto nos séculos XV 
e XVI. Imagem coletada da internet.

Não sou anti-americano, nem anti qualquer outra nação, pelo contrário, adoro é ver que a única que tem razão é a História e ainda assim, num plano, por vezes, intangível e intocável para os reles mortais. Gosto de viver e vivendo vejo o quanto é intrigante e interessante esse negócio do imprevisível, do "amanhã que não nos pertence", do "eterno devir", como dizia Giles Deleuze.

Por isso eu simplesmente vivo, tentando entender, mas, antes de mais nada vivendo. Quem sabe assim um dia eu entenda o que veem os norte-americanos nas terras distantes do além-México, no sul distante em que me encontro.


Dica de livro:

 livro espectro perry anderson

Espectro 
(Impresso e Ebook)
da direita à esquerda no mundo das ideias
Perry Anderson
R$ 76,00 por R$ 57,00!
 Clique aqui!


Imagem coletada da internet.

** Postado originalmente em 20/out/2012.

Compartilhar:

sexta-feira, fevereiro 17, 2017

LANÇAMENTO: "Império - Como Os Britânicos Fizeram O Mundo Moderno", de Niall Ferguson



Acompanhando o nosso vídeo sobre IMPERIALISMO, em parceria com o professor Valdinei Deretti, segue um livro que acaba de ser lançado: "Império - Como Os Britânicos Fizeram O Mundo Moderno", de Niall Ferguson. 

É mais um importante livro para compreender uma fase da História ainda não fechada, com marcas por todos os cantos do globo.

RESUMO DE ORELHA:


Era uma vez um Império que governava aproximadamente um quarto da população mundial, cobria quase a mesma proporção da superfície terrestre do planeta e dominava praticamente todos os oceanos.

O Império Britânico foi um dos maiores impérios de todos os tempos. Como um arquipélago de ilhas chuvosas a noroeste da costa da Europa veio a governar o mundo é uma das questões fundamentais não só da história britânica, mas da história mundial.

O aclamado escritor Niall Ferguson, desdobra brilhantemente a história deste império em todo seu esplendor, mostrando como um grupo de piratas e garimpeiros plantou a semente deste gigantesco império – colocando o mundo no caminho da modernidade.

QUER ADQUIRIR? ACESSE: http://acesse.vc/v2/f003a9dd


 livro imperio imperialismo Niall Ferguson
Como Os Britânicos Fizeram O Mundo Moderno
Niall Ferguson
Clique aqui!



Assistam ao nosso vídeo 

 POR QUE QUEREM DITADURA MILITAR DE VOLTA? [INTERVENÇÃO MILITAR

* Imagem do topo extraída da internet.

Compartilhar:

quinta-feira, fevereiro 16, 2017

Concurso: professores na Unioeste (Edital 009/2017)


Está disponível edital para Concurso Público de docentes na Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná. Há 28 vagas, divididas entre os Campi de Cascavel, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Marechal Cândido Rondon e Toledo.

Há 2 vagas para professores de História ou com alguma formação na área:

Área de conhecimento/matéria: Serviço Social - 1 vaga.
Exigência: Graduação em Serviço Social. Mestrado em Serviço Social ou nas seguintes áreas de avaliação da CAPES: Administração; Antropologia; Ciência Política; Ciências Sociais Aplicadas; Direito; Economia; Educação; Filosofia; Geografia; História; Interdisciplinar; Planejamento Urbano e Regional; Demografia; Psicologia e Sociologia. Inscrição Junto ao Conselho Profissional da Categoria: CRESS.
40 h
Lotação: Francisco Beltrão

Área de conhecimento/matéria: História da América - 1 vaga.
Exigência: Graduação em História. Doutorado em História.
40 h

Lotação: Cândido Rondon.

Etapas: 

  • Prova Escrita. deve ser realizado no dia 08 de junho de 2017.
  • Prova Didática com Arguição. Às 09h, do dia 19 de julho de 2017 será realizado sorteio do ponto. O sorteio da ordem de apresentação será feita as 08h do dia 20 de julho de 2017. A prova didática com arguição inicia-se logo após a definição da ordem de apresentação dos candidatos, ou seja, às 8h30min, do dia 20 de julho de 2017.
  • Avaliação de Currículo.
Inscriçõesde 21/fev a 5/mar de 2017, somente pelo site www.unioeste.br/concursos, mediante o preenchimento de requerimento de inscrição, da ficha cadastral, do termo de ciência e conhecimento das normas do Concurso (outras informações no edital).

Taxa de inscrição: R$ 200,00.
Informações: pelo e-mail cogeps@unioeste.br, ou pelos fones do Campus de Francisco Beltrão - (46)3520-4811 ou do Campus de Marechal Cândido Rondon - (45)3284-7915.

Leia o edital completo, clique aqui!
(mais documentos deste concurso logo abaixo nesta postagem)

Dica para este concurso:

 livro História do Serviço Social na América Latina

Clique aqui!



Para mais dicas de livros sobre Métodos e Práticas de Ensino de História, veja nossa postagem clicando na imagem abaixo!

 Clique aqui!


Compartilhe:

quarta-feira, fevereiro 15, 2017

Lançamento do meu livro "Erva-mate e frentes pioneiras"!



É com muita alegria que comunico que já está à venda o livro "Erva-mate e frentes pioneiras". 

Nele pretendo apresentar aos leitores pontos específicos, a história da erva-mate e os movimentos migratórios para o atual Mato Grosso do Sul, buscando contribuir para o estudo do contexto histórico mais amplo do Brasil no século XX.

Fruto de pesquisas realizadas nos últimos anos, conta o mesmo com análise de questões econômicas e relações de trabalho, além de aspectos sociais e culturais, relativos à colonização de uma região importantíssima para a Marcha para Oeste de Getúlio Vargas, se inserindo, portanto, em momentos importantes para entendermos a história nacional.

Se este mesmo século foi o "breve século" de Eric Hobsbawm, tendo ele eventos mundiais importantíssimos em mente, por que então não entendermos também este como um século de mudanças fundamentais em nossa história nacional? Um século de ditaduras, golpes, mudanças fundamentais e busca por consolidação da democracia. 

E é nessa história nacional que se insere a erva-mate, produto tão importante para a formação de quatro estados brasileiros (Mato Grosso, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). 

Erva-mate e frentes pioneiras: dois mundos antes estudados de forma separada e agora juntos neste livro, vistos a partir da ocupação não indígena de um espaço tido por idealizadores oficiais como "vazio". Um mundo ocupado por indígenas e imigrantes paraguaios, onde vão se inserindo os "pioneiros" das mais diversas regiões, sobretudo do Nordeste brasileiro, em busca de vida melhor para si e suas famílias a partir da década de 1940. Colonos estes dos quais alguns se tornarão ervateiros e outros que de alguma forma tirarão proveito da Ilex Paraguariensis.

Para adquirir acesse: bit.ly/ErvamateEFrentesPioneiras

Clique aqui!

Compartilhar:

LANÇAMENTO! Quelé, A Voz da Cor - Biografia de Clementina de Jesus




Samba, ritmo considerado outrora som de preto e vagabundo, hoje um patrimônio nacional. Nesse livro a primeira biografia de Clementina de Jesus, uma das maiores vozes da história do samba, a Rainha Ginga, a Quelé.

Mais do que a primeira biografia de Clementina de Jesus, este é o registro definitivo da grandiosidade da artista fluminense. 

Mulher, negra, mãe e dona de uma voz que “parecia subir da terra e vir do oco do tempo”, como registrou a jornalista Lena Frias, Clementina foi revelada aos palcos brasileiros em 1964, aos 63 anos, no show O Menestrel. Menos de dois anos depois, arrebataria o público internacional, no I Festival Mundial de Artes Negras, no Senegal, e em show no Festival de Cannes, na França. 


Quelé, a voz da cor traz a público a força, a doçura – e também a resistência – de Clementina de Jesus, desde seu nascimento em Valença, interior do Rio de Janeiro, em 1901, até sua morte, na capital do estado, em 1987. Não faltam a convivência apaixonada com o marido, Albino Pé Grande, o cuidado com os filhos, os netos e a amizade e o carinho com grandes nomes da música brasileira. 

“O Brasil em que eu acredito tem a voz dela. Rainha” - Teresa Cristina, cantora e compositora; “Clementina de Jesus é muito mais que um ícone do samba e da música brasileira. Ela é o símbolo da mulher negra guerreira que, apesar de todos os preconceitos e injustiças, sobreviverá, neste lindo livro que conta a sua história” - Mariene de Castro, atriz, cantora e compositora; “Ela foi mesmo um acontecimento, aquela voz maravilhosa e forte, diferente de tudo o que as pessoas estavam acostumadas a ouvir. Cantava aqueles sambas maravilhosos com aquela elegância toda” - Paulinho da Viola, cantor e compositor.

PARA ADQUIRIR O LIVRO: acesse.vc/v2/fa49c420


Veja um programa especial da TV Cultura: 


 livro quelé clementina de jesus
Clique aqui!

Compartilhar:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Digite e tecle Enter para buscar!