O Dia do Trabalhador na Ditadura de Getúlio Vargas ~ Identidade 85 ::

sexta-feira, maio 01, 2015

O Dia do Trabalhador na Ditadura de Getúlio Vargas




Tentando apresentar à vocês um ponto especifico de nossa história dos trabalhadores, gostaria de falar sobre as comemorações do Dia do Trabalhador no Brasil durante a Ditadura de Getúlio Vargas (1937 a 1945)**.


Segundo Valéria Fernandes**, o Estado Novo, usando o carisma de Getúlio Vargas, se responsabilizou por transformar os operários de nosso país em "cidadãos brasileiros". O esforço dos ideólogos do governo era de criar um imaginário político comum e homogêneo entre os trabalhadores, com a ideia de que eles estariam integrados à vida da Nação. Assim, os discursos pronunciados na festa do Primeiro de Maio brasileiro faziam parte de um grande movimento preparado pelo Estado Novo.

O que se via naquele período, que se estende de 1937 a 1945, era uma festividade anual, muito bem montada, com discursos persuasivos pronunciados pelo ditador Getúlio, a figura central do evento. 

"A partir de 1938, o projeto trabalhista do Estado Novo, na tentativa de aproximar o Presidente Vargas e o movimento operário, apropriou-se do Primeiro de Maio e o transformou em comemoração cívica, a 'festa do Trabalho', retirando o caráter combativo que a data apresentava"***.

Interessante é pensarmos no que era ser "cidadão" naquele período. Getúlio Vargas fazia questão de, de forma dramatizada, neste momento que se tornou tão esperado pela população e pelo Estado nacional, lembrar ao povo que com ele ia ter contato direto das realizações sociais já consumadas e dos projetos trabalhistas a serem executados. Era o ponto máximo do caráter populista, onde governo e povo pareciam estar participando de um mesmo movimento, em prol do bem comum da Nação.

No momento em que acontecia o contato direto entre o povo e o Poder Público, as iniciativas governamentais eram apresentadas sempre como uma demonstração da proteção e da atenção oferecida pelo presidente**.


Comemoração do Dia do Trabalho, 1º/05/1943, em frente ao prédio do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio. Vista da tribuna de honra e público presente. Rio de Janeiro (então o DF) – Foto: Arquivo Nacional. 

A ditadura varguista, implantada em novembro de 1937, dizia ter sido imposta em nome das exigências históricas e das solicitações dos interesses coletivos, com a finalidade de defender os interesses do povo** - entenda-se aqui como exigências históricas o combate à "ameaça comunista" e das "oligarquias regionais" da política brasileira. 

Por fim, não resta nenhuma dúvida de que um aparato incrivelmente organizado trabalhava a favor da imagem de Getúlio Vargas e do Estado Novo, prometendo para isso integrar os "excluídos". 

Sobre isso, basta prestar atenção nos lugares que foram escolhidos para a festividade do Dia do Trabalhador: em 1938 foi realizado no Palácio da Guanabara (lembrando que a capital do Brasil nesse período ainda era o Rio de Janeiro) e depois, a partir de 1939, no Estádio São Januário, do Vasco da Gama - uma única exceção se deu em 1944, quando o evento foi realizado no Estádio do Pacaembu, em São Paulo. Era o lugar perfeito para dar propaganda ao presidente mais popular do Brasil.


Getúlio entrando no estádio São Januário, s/a. Arquivo do CPDOC/FGV.

Dica de livro:

 Livro Getúlio Vargas E O Ministério Do Trabalho

Getúlio Vargas E O Ministério Do Trabalho
de Ronaldo Bernardino Colvero

Notas e referências


* Comemoração do Dia do Trabalho, 1º/5/1943. Getúlio acena, em frente ao prédio do Ministério do Trabalho, Indústria e Comércio, Rio de Janeiro (então DF). Foto: Arquivo Nacional.


** Usei como base o texto de Valéria Dal Cim Fernandes publicado no site História e-História: "O Operário em Construção": um estudo sobre os discursos varguistas no Primeiro de Maio do Estado Novo. (1938-1945). Disponível em: http://www.historiaehistoria.com.br/materia.cfm?tb=historiadores&id=59

*** Discurso lido por Getúlio Vargas no palácio Guanabara e irradiado para todo o país, na noite de 10 de novembro de 1937. Ver: VARGAS, Getulio. Proclamação ao povo brasileiro. In: A nova política do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1938, vol. V: O Estado Novo (10 de Novembro de 1937 a 25 de Julho de 1938), p. 15-32.


* Originalmente postado em 1/maio/2014.

Compartilhe essa postagem

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Digite e tecle Enter para buscar!