Algumas histórias orientais através da arte (parte única) ~ Identidade 85 ::
Booking.com

sexta-feira, janeiro 22, 2016

Algumas histórias orientais através da arte (parte única)




Hoje selecionamos para vocês uma série de imagens que fazem um passeio por pequenos países asiáticos, alguns dos quais tiverem suas histórias misturadas ao longo dos séculos, por vezes confundidas aos outros que já falamos aqui no blog. 

Escolhemos obras que mostram 5 países diferentes: Nepal, Iêmen, Tibete, Tailândia e Taiwan.

Claro que não dá para falar de todos, nem mesmo aprofundar em demasia sobre cada um deles, tendo em vista a riqueza cultural que os envolve e a complexidade de seus processos históricos. Mas, dá para ao menos viajarmos um pouco e termos algumas informações úteis (alguns seguem com links complementares, para mais imagens e dados).

Nas próximas postagens pretendemos fechar nossa série de artes orientais com imagens do Oriente Médio. 

Nepal - "Primeiro ponto de parada no rio Raptee”
(Por volta dos anos 1842 d.C. e 1845 d.C.)


O Nepal é um país asiático dos Himalaias, limitado a norte pelo Tibete (ocupado pela República Popular da China) e a leste, sul e oeste pela Índia, e é um país sem costa marítima. A sua capital é Catmandu. 

Tendo sua história confundida em parte com a da Índia, foi também um protetorado da Inglaterra no século XIX e início do XX, se tornando independente oficialmente em 1923.

Essa aquarela pertence a uma coleção de 18 pinturas de temas indianos de William Tayler (1808-1892), as quais já falamos na parte 01 sobre a Índia, datadas de 1842 a 1845. A cena pastoral nessa aquarela mostra uma parada para descanso no rio Raptee (atualmente, Rapti), na região centro-sul do Nepal.

Os exercícios militares do Iêmen
(Por volta de 1820 d.C.)
Artista: Bernieri, Andrea, que prosperou entre 1826-1842


O Iémen, Iémene ou Iêmen é um país árabe que ocupa a extremidade sudoeste da Península da Arábia.

Nessa gravura pintada à mão de uma obra de Andrea Bernieri (que prosperou entre 1826 e 1842) retrata cavaleiros iemenitas com lanças, exercitando-se no pátio de um forte. Os cavaleiros são vigiados por um soldado que segura um mosquete e civis observam no primeiro plano. 

Bernieri foi um dos artistas italianos que contribuiu com suas obras para um conjunto de 15 volumes de Giulio Ferrario (1767-1847), chamado Il costume antico e moderno, o, storia del governo, della milizia, della religione, delle arti, scienze ed usanze di tutti i popoli antichi e moderni (Costumes novos e antigos, ou a história do governo, milícia, religião, artes, ciências e usos e costumes de todas as nações, antigas e modernas), publicado na Itália em 1823-1838. 

Ferrario foi editor, tipógrafo e bibliotecário de Milão cujo trabalho monumental continha mais de 1.500 placas coloridas à mão retratando o vestuário do período clássico nos primeiros anos de 1800, além de muitos desenhos e gravuras arquitetônicos. A gravura aparece como a placa 29 na Ásia, volume 5, da obra de Ferrario. Ela pertence à Coleção Militar Anne S.K. Brown da Biblioteca da Universidade de Brown.

A nobre, grande e purificadora liberação contra todos os pecados através de Buda
(Por volta dos anos 1800 d.C. e 1899 d.C.)


O Tibete (Xizang) é uma região autônoma da China com importante tradição budista. Cidade onde residia o Dalai Lama, líder espiritual e governador do Tibete de 1940 até o seu exílio em 1959. 

Este maravilhoso manuscrito contém um texto de Sutra Mahayana do Kanjur (Tradução das palavras de Buda), isto é, as escrituras do budismo tibetano. É especialmente notável uma vez que não foi traduzido diretamente do sânscrito, como tantas outras obras do Kanjur, mas do chinês. Os tradutores claramente não possuíam o texto original para trabalhar. Assim, não deram à obra um título em sânscrito, como era normalmente realizado. Manuscritos contendo apenas este texto são muito raros e, mesmo neste caso, uma segunda obra foi acrescentada começando no fólio 214. A segunda obra, composta por 13 fólios, é 'Phags-pa bzang-po spyod-pa'i smon-lam-gyi rgyal-po (em sânscrito, Bhadracaryapranidhana-raja) ou, O rei dos votos de boa conduta. O manuscrito foi trabalhado de forma magnífica com escrita em ouro sobre papel laca preto. A capa é feita de várias camadas de papel revestido com um material têxtil. A folha frontal foi inserida na capa. O texto é protegido por três capas de seda de cores variadas. No centro da folha há uma pequena miniatura representando o Buda Shakyamuni (imagem acima). As folhas repousam em um receptáculo de leitura envolvido em um pano vermelho. O conjunto é preso por uma faixa com um grampo de metal que exibe a cabeça de um demônio. (veja o livro completo).

Livro ilustrado de poesia tailandesa
(Por volta dos anos 1850 d.C. e 1899 d.C.)


Tailândia, oficialmente Reino da Tailândia, anteriormente conhecida como Sião é um país asiático situado no centro da península da Indochina e a península Malaia.

A imagem acima está vinculada aos poemas que são reunidos em um notável manuscrito tailandês da segunda metade do século XIX, de autoria de um poeta desconhecido (veja o livro completo). Todos os poemas compartilham o mesmo tema: a perda da mulher amada. 

Com base em todos os possíveis graus de refinamento que o idioma, a poesia e a arte tailandesa podem dominar, cada poema é uma obra de arte em si, elogiando a beleza da mulher amada e lamentando a sua morte. 

Precedendo os poemas estão 13 ilustrações ligadas ao tema geral. Elas mostram criaturas mitológicas e motivos de lendas e histórias tailandesas, como a do dragão do mar acima ou o Kinnari (figuras místicas metade pássaro) ou a figura de Rama, o herói do Ramáiana tailandês. O manuscrito encontra-se na Biblioteca Estatal da Baviera, em Munique, Alemanha.

Costumes das Tribos em Taiwan
(1744 d.C. e 1747 d.C.)


Também conhecido como República da China, Taiwan é um Estado insular localizado na Ásia Oriental, que evoluiu de um estado de partido único com reconhecimento mundial e jurisdição plena sobre a China em um estado democrático, com reconhecimento internacional limitado e com competência sobre a ilha de Taiwan e outras ilhas menores, apesar de usufruir de relações de facto com muitos outros Estados. Até 1949, foi o governo da China reconhecido internacionalmente e, como tal, foi um dos membros fundadores da Organização das Nações Unidas e um dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, até ser substituído pela República Popular da China em 1971.

Este álbum, com doze pinturas (delas uma já foi divulgada em postagem sobre a China), é um registro da terra e do povo da ilha de Taiwan, há mais de cem anos atrás. 

As superfícies das pinturas são um tanto ásperas e inacabadas, mas mostram pessoas trabalhando na agricultura, caçando e cuidando de suas vidas cotidianas, e são, portanto, uma importante fonte para o estudo da história de Taiwan. 

O álbum contém um prefácio em inglês, de Arthur William Hummel (1884-1975), um sinólogo e missionário americano na China que, de 1928 a 1954, foi o primeiro chefe da Divisão Oriental (predecessora da Divisão Asiática), na Biblioteca do Congresso.



<< ORIENTE MÉDIO >>

<< A ÍNDIA >>

<< A CHINA >>

<< O JAPÃO >>


* Descrições adaptadas das que constam no site da Biblioteca Mundial Digital, de onde também provém as imagens (algumas foram igualmente adaptadas em tamanho e forma à essa postagem, sem alterar seu conteúdo original).
** Algumas informações básicas foram encontradas no Wikipedia.

*** Originalmente postado em 3/maio/2014.

Compartilhar:

2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Digite e tecle Enter para buscar!